quinta-feira, 2 de setembro de 2010

PONTO DE VISTA - TRAIL MÉDIA CILINDRADA

Eu analiso atualmente o mercado brasileiro de motos trail de média cilindrada de "Medíocre". Sem contar com as nossas caras pintadas de palhaço.

E o governo deitando e rolando de rir, de você de mim , de todos nós consumistas, que pagamos 3 e levamos 1 pra casa. Como pode um mesmo veículo custar menos da metade no país vizinho? Como pode um país auto suficiente de petróleo com uma gasolina de merda cobrar tanto por ela e exportar a preço tão baixos. Como pode tudo no Brasil custar tão caro.... Me deixe viu. São estas coisas e muitas outras que me fazem enojar este país, na verdade o país não tem nada haver, são os políticos os verdadeiros culpados disso tudo, isso tudo que se arrasta desde a colonização.

Bem, mais vamos deixar esta conversa de lado e falar de motos. Afinal sonhar e respirar ainda não foi tributado. Espero que "eles" não leiam isso.
Atrevo-me a falar apenas de possíveis modelos ao qual eu compraria e só vejo 3 opções no mercado brasileiro que me "agrada", são elas: BMW G 650 GS, Vstrom 650 DS e a Yamaha XT 660. Entretanto em cada uma das motos citadas deixam a desejar em algum aspecto nas qualidades que espero numa moto. Analisemos:

- BMW G 650 GS -
Recentemente chegada ao Brasil a BMW trouxe muita tecnologia agregada as suas motos, mais os altos custos da importação deixaram suas motos muito caras e distante da maioria dos mortais brasileiros. Pensando nisso eles tomaram uma iniciativa louvável mais meio na contra mão dos ancejos dos carentes brazucas no quesito média cilindrada. Trouxe uma moto defasada no mercado europeu para agradar os brasileiros. Diria que um patinho feio europeu se transformou num cisne formoso em mercado brasileiro. Com a nacionalização na montagem da moto em solo brasileiro diminuiu o custo com a operação e consequentemente baixou o preço que é de R$ 29.800 (fonte Revista 4 Rodas especial moto, edição 605-A). E Existe hoje uma longa fila de espera para receber sua GS 650 GS.
Mas o que não me agrada nela é este visual da década de 1990, a altura do banco 78 cm (eu com 1,85 mt vou ficar montado num velotró), sem marcador de combustível, roda 19 na dianteira, curso de 170mm na dianteira e 165 na traseira fecha as qualidades que considero negativas nesta moto. O que me agrada, um banco macio levando bem carona e piloto e o ABS que pode ser desligado em pilotagens mais radicais, seu peso é de 175 kg. Moto boa para o dia a dia.

- Suzuki Vstrom DL 650 -

Maior e mais cara R$ 34.500,00 (fonte Revista 4 Rodas especial moto, edição 605-A), embora seja uma verdadeira estradeira com pretensões mais comportadas, como ela mesmo se entrega em suas especificações técnicas. Curso de 150mm em ambos os amortecedores, rodas de liga leve, aros 19 dianteira, e sua altura do solo de 16,5 cm, altura do banco 82cm um pouco melhor que a GS, mas demonstram tendências negras como o asfalto, aliás, aonde vai melhor. Seu peso é de 194 kg. O que me agrada nela, seu porte, conforto para piloto e garupa e a proteção aerodinâmica (bolha). Moto boa para viagens no asfalto. Tem um monte de acessórios disponíveis para ela, veja como ela fica do jeito que eu faria se tivesse uma:


Vale lembrar que a discaração é tamanha que a mesma moto vendida na europa vem com ABS e nós tacanhos um bando de "indios" para eles, que não precisamos de segurança. Ou outros colocam segurança mais dão uma moto que ninguém mais quer por lá. Enquanto isso o governo baba o ovo de tudo que é jeito destes empresários e de outros líderes de países, enquanto seu povo paga o pato e tem o nariz coberto de vermelho cara pintada de branco e apito na boca. Alias apito mudo, pra não fazer zuada.

- YAMAHA XT 660R -
Uma moto polivalente, que custa R$ 27.273,00 (fonte Revista 4 Rodas especial moto, edição 605-A) mais mesmo com todo este atrativo do valor, poderia ser vendida mais barata. Levando em consideração as duas motos acima descritas que agregam uma tecnologia em alguns aspectos superiores. O que não gosto nela, a falta de marcador de combustível, o banco estreito sem conforto para longas distancias para o piloto/garupa e pelo porte poderia ser mais robusta, segundo informações seu seguro é elevadíssimo, pois é uma moto muito visada pelos ladrões assumidos.Entretanto me agrada as rodas 21" na dianteira, caracteristicas das motos de trilha, altura do assento com 86,5 cm, curso da suspensão dianteira com 225mm e traseira com 200mm, altura do solo 21 cm e as rodas raiadas. Seu peso 165kg. Moto boa na estrada de terra.

Agora vai gerar polêmica: Curso de 220 na suspensão dianteira e 195mm na traseira com ajuste na pré carga da mola, altura do solo de 24,5 cm, altura do banco 85 cm, marcador de combustível, aro 21 na dianteira, porte de moto grande, rodas raiadas, pneus de uso misto, banco confortável para ambos piloto/garupa, peso de 151 kg e seu preço R$14.000,00. Moto boa em todos os terrenos.
Mais saiu de linha. Sabe porque? Por que agrega tudo o que tem de melhor numa única moto. Não quebra e tem manutenção fácil e barata. Por que simplesmente não reformularam e mantiveram o mesmo conceito agradando a muitos. Porque dona Honda (leia-se onda)? Por isso esta é a minha moto.

- Honda NX4 Falcon -

Então porque eu trocaria de moto, só pra alegar status? Status sem funcionalidade, é luxo desnecessário, é ser hipócrita. Mas analiso isso tudo com fundamentos que refletem meus interesses, então você pode discordar e opinar diferente, afinal gosto é particular, cada um tem o seu.
Tudo o que a Honda NX4 Falcon tem e muito mais, com muita competência. Veja onde gastaria meu dinheiro, caso venha um dia ter condições reais de manter uma moto destas:

- BMW F 800 GS -
Do jeito que eu queria.


Não me canso de elogiar esta moto importada. Motor bicilindrico paralelo, altura do banco 88 cm (regulável), altura do solo não é definido pelo fabricante, mais posso afirmar que é mais alto que as acima citadas, peso seco de 178 kg, curso do amortecedor dianteiro (invertido) 230mm, curso do amortecedor traseiro 215mm com regulagens de extensão e pré carga, freios duplo pistão dianteiro, 6 velocidades, o preço do modelo básico no Brasil R$ 49.900,00 (lembre do início do texto). Ah se eu tivesse!

Pois é, tá tudo aí como eu acho. Você pode discordar, opinar e dar sua sugestão.

Abraços e até a próxima!

6 comentários:

Anibal Jr disse...

É meu caro amigo, sofremos neste Brasilzão, mas é nossa realidade. Apesar de concordar com vc nada iria adiantar, essa GS é uma máquina, porém, para minha baixura quando fizer a regulagem ideal aí ela perderá toda sua elegancia...

Rad disse...

na NXC falta só um pouco de motor, numa viagem mais longa vai se tornar mais agudo esse pormenor. e a questão de uma moto monocilindrica fazendo 18/20 em veloc acima de 110 de cruzeiro. no mais é uma maravilha de moto,

valeu demais pela analise.

Leo Couto disse...

Jr. a BMW F 800 GS realmente é uma moto de gente grande. 88 cm é a menor configuração pois ela pode chegar a 92 cm na opção enduro.

Big Rad, como sempre expert no assunto, capitou a alma do meu ponto de vista. E acrescentou um ítem a desejar na Falcon que eu deixei de mensionar, força extra no motor. Que só se sente falta apenas para andar com motos maiores, pois acredito que uma velocidade de cruzeiro de 100/110 km/h é satisfatória.

Abraços.

Ricardo disse...

Você conhece a suzuki freewind? Qual sua opinião sobre a moto? Abraço,

Ricardo Mendes

Leo Couto disse...

Ricardo obrigado pela visita. Pelo que captei na internet, o que pesa nesta moto é o preço e a dificuldade de se conseguir as peças originais para reposição, além da manutenção e a rede de concessionárias. É uma moto destinada a longas viagens mas em estradas bem conservadas. Ficou pouco tempo no mercado BRA e perdeu lugar para a DL 650 Vstrom. Deixou de ser produzida na europa em 2003. Tem aro 19 na dianteira o que já lhe invoca o apelo para uso estradeiro. Eu não compraria, acho que tem outras opções nacionais mais viáveis.
Abraços.

Vanderlei Oliveira disse...

Olá amigo, gostei dos comparativos das motos, mas principalmente do seu conceito final. Gosto tanto da NX4 Falcon que tenho duas. Uma é idêntica a tua, ano 2003 e azul; a outra é uma 2006 azul também, com adesivo tribal(uma das mais bonitas pra mim). Já fiz inúmeras viagens com ambas e nunca tive problemas. Realmente o melhor custo benefício de todas as motos, é imbatível, mesmo para quem quer para o dia-a-dia. Estou pensando em vender uma delas porquê vou construir e preciso de dinheiro. Ah, quanto aos preços a saída é comprar usada, com procedência, o imposto é mais barato e, no caso da Falcon, não desvaloriza nunca. È a única moto que se vende acima da Fipe. Abraço. Vanderlei Oliveira/Canguçu-RS